Shelly Bond foi despedida da DC Comics. Bond era editora executiva da Vertigo, um selo de quadrinhos alternativos (leia-se: sem super-heróis) pertencente a DC Comics, uma das duas maiores editoras de quadrinhos dos EUA, empresa dona dos personagens Superman, Batman e toda a Liga da Justiça. O selo Vertigo, no período em que Bond estava no comando, foi responsável por algumas das melhores histórias já publicadas na indústria, mas nos últimos anos vinha amargando vendas cada vez menores. Daí a demissão dela.

maxresdefaultShelly Bond era diretora e editora executiva da DC desde 2013

Eddie Berganza é editor dos quadrinhos da família Superman, entre eles a revista do próprio Superman, além da Action Comics, Mulher-Maravilha, Superboy, entre outras. Berganza foi acusado de assediar a namorada de um funcionário da empresa, em 2012. Sua punição foi apenas a perda do cargo de editor executivo da DC Comics. Ele não foi mandado embora. Detalhe: a empresa proíbe mulheres que queiram escrever ou desenhar nas revistas das quais ele é editor.

Editor da DC Eddie Berganza foi acusado de abuso sexualEditor da DC Eddie Berganza foi acusado de abuso sexual

Apenas um site jornalístico especializado em quadrinhos apontou o nome de Berganza como abusador ainda em 2012, o Bleeding Cool. Os outros veículos, atrelados economicamente às grandes editoras de quadrinhos americanas, abafaram o acontecido na época. Mas a demissão de Shelly Bond trouxe à tona esse e outros casos do abusador, e outros nomes também foram revelados: Dan Slott, roteirista dos quadrinhos do Homem-Aranha, na Marvel; Chris Sims, roteirista dos X-Men, além do vice-presidente da mesma empresa, Tom Breevort.

Logo após a demissão de Bond, o jornalista americano Nick Hanover e a editora Janelle Asselin problematizaram a questão. É importante ressaltar que as duas situações (Bond e Berganza) não têm ligação direta. O que incomodou Hanover, Asselin e muitos outros profissionais da indústria foi a frouxidão e leniência com a qual a DC Comics lidou com o caso Berganza e a rigidez e inflexibilidade usada com uma profissional de renome como Shelly Bond.

Janelle Asselin foi uma das funcionárias que abriram uma ação judicial contra a DC ainda em 2011, devido a outros casos anteriores ao de Berganza em 2012. A editora nunca admitiu publicamente os abusos do editor. O maior site sobre quadrinhos dos EUA, o Comic Book Resources, removeu todos os posts do seu fórum dedicados ao assunto em uma hora. Lembrando que a DC Comics é uma das maiores financiadoras do site…

O site The Outhousers foi um dos poucos a ir contra a corrente silenciadora do jornalismo de quadrinhos americano. O site é conhecido pela postura irreverente e crítica. Para estimular a permanência da discussão, eles zeraram indefinidade o contador do site “Quantos Dias Fazem Desde que a DC Comics Fez Algo Estúpido”. O contador só sairá do zero quando a DC se manifestar publicamente sobre a questão.

Por: Felipe Gelani

Anúncios