É difícil publicar um livro e é ainda mais difícil tentar conciliar faculdade e o processo de escritura de um livro. Foi por isso que o Jornal Cenário buscou entrevistar duas alunas da UFF para que elas falassem sobre todo esse processo pelo qual elas passaram para colocar seus livros no mercado.

Thaísa Lixa é aluna de Estudos de Mídia na UFF e o primeiro livro da sua Série Stellium, Oposição, sairá em breve pela Editora Chiado.

Sinopse do livro: Em uma dimensão chamada Constelação, são os supremos Deuses do Inferno que controlam e ditam as regras da sociedade, amedrontando os humanos e deixando-os dóceis perante seus poderes, nessa, e em todas as outras dimensões que existem pelo Universo. Entretanto, por conta de uma traição, o Deus principal e líder, Ahriman, impôs uma lei que jamais poderia ser quebrada: Ele definiu que as diversidades genéticas não existiriam, o que faria a população ter uma aparência padronizada de olhos e cabelos castanho-escuros ou negros.

E assim foi, até o nascimento da jovem Lilith, uma menina de cabelo loiro e olhos azuis, acompanhada de uma beleza estonteante e que atraía olhares de todos à sua volta por sua singularidade e magnetismo pessoal. Tratada desde perfeição até aberração, pelas pessoas de seu mundo, Lilith tenta sobreviver em meio a tanta gente intolerante. De uma coisa ela não tinha dúvida: havia sido amaldiçoada. Só mesmo este fato explicaria o motivo de ter nascido com a aparência proibida e ter macabros pesadelos todas as vezes em que dormia. Lilith pensava isso consigo mesma e não tinha a real dimensão do quanto suas suposições eram verdadeiras.

Interessado no livro? Veja as novidades sobre a série na página da Série Stellium.

Já Bruna Tschaffon se formou em advocacia há pouquíssimo tempo, e meses após sua formatura conseguiu um contrato com a editora Giostri para o lançamento de seu livro “Lítio”. A estreia foi no dia 29/04 na livraria Saraiva do Shopping Plaza em Niterói. A autora também lançou um e-book de poesias com o título “Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais” pela editora Autografia.

Sinopse do livro Lítio: “Renegada pelos pais e sentindo-se estrangeira na própria cidade natal, Sophie Harver resolve passar uma temporada com a avó Emily no interior. Mal sabia ela que tal escolha a faria descobrir segredos enterrados no passado, se envolver em uma tragédia sem precedentes e ser forçada a confrontar o que há de mais escuro em sua alma até se sagrar vencedora. Ou morrer.”

Se você se interessou pelo livro, pode encontrar mais informações e trechos de poemas da autora na página.

Sem mais delongas, vamos às entrevistas.

O amor pela leitura e por escrever apareceu cedo nas duas autoras: Se Bruna descobriu enquanto lia e escrevia poemas, querendo fazer parte desse mundo desde cedo, a coisa não foi muito diferente com Thaísa que “brincava de fazer livros” desde criança, aos nove já escrevendo fanfics (estórias baseados em mundos fictícios já existentes, como séries, livros, filmes, quadrinhos, etc). Para ela, as fanfictions serviram como uma forma de encorajar mais ainda o seu amor pelas palavras.

“Jornal Cenário: Você acha que o amor pelas fanfics te ajudou a seguir esse caminho como autora?

Thaísa Lixa: Muito! Porque escrita é prática, se você não escrever sempre e exercitar, ela vai enferrujando. Enquanto eu não tinha uma história original só minha, fui praticando com as histórias dos outros. E aqui estou eu agora.”

Sobre as dificuldades de se publicar um livro, a autora e advogada Bruna Tschaffon fala sobre o processo de publicação de seu livro “Lítio” e o e-book “Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais”, além de dar uma dica para os autores que estão começando agora:

“Bruna: No caso do e-book, o processo de publicação é mais simples e o custo é significativamente menor. A dificuldade é a reticência de parte do mercado literário, pois algumas pessoas ainda preferem ler livros físicos e não necessariamente possuem o Kindle ou o EPub reader, principalmente os de faixa etária mais elevada. Quanto ao livro físico, as maiores dificuldades estão no custo (é preciso fazer um investimento inicial na obra, o que envolve, inevitavelmente, uma boa dose de risco financeiro) e no envio para editoras (muitas ainda não aceitam manuscritos em forma digital, o que aumenta os custos pra impressão e envio pelo correio para cada editora)

Jornal Cenário: Algum dos seus livros foi autopublicaçao?

Bruna: Não, meus dois livros (tanto o e-book quanto o físico) foram publicados com editoras. Eu recomendo, porém, a autopublicação na Amazon e no Wattpad, para escritores iniciantes que queiram tentar atrair a atenção de editoras maiores e estejam dispostos a investir em divulgação intensa da obra nas mídias sociais.”

É sempre difícil conciliar a carreira de escritora com a faculdade. Bruna passou os quatro anos de faculdade escrevendo seu livro e Thaísa usava seu tempo no ônibus para criar as cenas de seu livro. Mas, no caso das duas, o esforço parece estar valendo muito a pena.

Por fim, o que as duas encorajam mesmo é a perseguir esse sonho. Dizem a todos os escritores que estão tentando escrever e se formar e que sonham em publicar um livro que continuem se esforçando e procurando as editoras. Pode não ser fácil, mas o resultado é muito satisfatório. Nossa advogada Bruna ainda lembra que antes de mandar qualquer manuscrito a uma editora o mesmo deve ser registrado na Biblioteca Nacional antes. É uma medida para proteger seu trabalho, sua paixão e seu sonho. E sonhar pode ter resultados incríveis.

Por: Fernanda Menezes

Anúncios