Por Mayara Mendes

Horto de Niterói sofre com falta de infraestrutura e investimentos. Foto Jornal O Globo
Horto de Niterói sofre com falta de infraestrutura e investimentos. Foto Jornal O Globo

Há uma famosa história de um jornalista escalado para cobrir um espetáculo de circo que voltou com as mãos vazias para a redação. O circo havia pegado fogo, portanto não tinha matéria. Ora, o incêndio era a notícia, o que o repórter não percebeu. Essa foi a situação encontrada no Horto de Niterói durante uma visita em uma manhã de domingo. Ao chegar ao local para cobrir o Recicla Niterói, o que se viu foi um aspecto de abandono e  descontentamento de frequentadores e comerciantes. As reclamações calaram à única atividade cultural instalada no local, que sofre com a falta de infraestrutura e investimento há anos.

Patrimônio de Niterói desde 1906, o Horto tem 258 mil metros quadrados e fica na Alameda São Boaventura, no Fonseca. Na semana passada, o local recebeu a nova Companhia Destacada de Polícia da PM, mas esta parece não ter diminuído um problema antigo do local: a insegurança. Fátima Feitosa, que administra o Orquidário e Bromelário do Horto foi a primeira a alertar: “ali pra trás tem um lago, mas eu não te aconselho a ir  lá sozinha’’. Segundo ela, o local é perigoso, mas mesmo assim recebe muita gente. O Orquidário é uma das atrações turísticas e funciona de terça a domingo, de 8h às 17h.

E  é justamente nas informações aos frequentadores que a administração do Horto também peca. Ao entrarmos, a primeira coisa que se vê é um prédio de arquitetura antiga, que aparenta ter um imenso valor cultural. Mas não há ninguém para informar o que é o prédio, se pode visitar, fotografar, saber um pouco da história. Um guarda simpático segurando firme em uma arma avisa que  “é só a secretaria, nada mais’’. O google se encarrega posteriormente de dizer que é a sede da Secretaria de Agricultura e Pecuária e que se trata do Palácio Euclides da Cunha.

Um comerciante, que preferiu não se identificar, disse que há três anos o Horto se encontra neste estado. Ele trabalha no local desde 2006 e conta que o fechamento do zoológico e do estacionamento foram grandes problemas que agora se somam à falta de infraestrutura de maneira geral ” os banheiros são horríveis, não tem um investimento no comércio. Está muito ruim”. De fato, se as senhoras do Recicla Niterói, que faziam seu crochê em garrafa pet resolvessem usar o banheiro iam preferir esperar chegar em casa. O restaurante do local também estava com as portas fechadas.

Entre as propostas das campanha eleitoral do atual prefeito Rodrigo Neves está a revitalização do espaço para transformá-lo no Jardim Botânico de Niterói. Ainda não há uma data prevista para a realização do projeto. Por enquanto, resta aos frequentadores esperar em meio ao valão que corre solto no local em companhia das dezenas de gatos abandonados e seus filhotes.

Anúncios