Por Gabriela Capanema

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida já dizia “não sou tolo de escrever jazz porque nunca poderia competir com seus autênticos criadores”. Mas foi com “Nuvens Douradas”, uma das peças de Tom Jobim, que o duo Zé Nogueira e Arthur Dutra abriram o show da edição de abril do Cine Jazz UFF, no dia 24, no Museu do Ingá.

Mesmo com a chuva, o público lotou as cadeiras do museu enquanto o som do sax soprano de Zé Nogueira invadia o espaço, e Arthur Dutra preenchia o palco com seu vibrafone, deixando perplexa a plateia. Para Arthur Dutra, muita da sintonia criada entre os artistas e púbico no show se deu através do vídeo do saxofonista Michael Brecker e o grupo Steps Ahead,  uma das grandes referências do jazz mundial. A gravação foi feita numa performance em Copenhague, em 1983, e foi exibida antes da apresentação começar. “A ideia do vídeo eu acho maravilhosa porque isso contextualiza a música que a gente faz que não e muito conhecida do grande público”, disse Arthur.

“É muito bacana estar participando do Cine Jazz UFF, um evento super importante pois traz para o público vídeos de jazz acoplados a um encontro entre músicos brasileiros”, disse o Zé Nogueira, que desde os anos 60 se interessava pelo saxofone, seguindo uma tendência mundial do jazz na época.

O Cine Jazz UFF é uma iniciativa do Centro de Artes UFF sob a curadoria de Paulo Rocha e acontece toda última quinta-feira do mês no Museu do Ingá. A entrada é gratuita. Em maio, o convidado será o pianista, compositor, arranjador, orquestrador e regente Gilson Peranzzetta.

Anúncios