Por Mayara Mendes

O poeta Vinicius de Moraes tem sua história contada na Biblioteca Euclides da Cunha, na exposição Lembranças em Verso
O poeta Vinicius de Moraes tem sua história contada na Biblioteca Euclides da Cunha, na exposição Lembranças em Verso

Em um pedacinho da Rua da Imprensa mora um pouco de Vinicius de Moraes. O poeta e compositor ganhou uma homenagem da Biblioteca Euclides da Cunha, no Ministério da Cultura, Centro do Rio de Janeiro. No quarto andar do prédio, onde se esconde a extensa biblioteca, podemos encontrar diversas obras e um pouco da história de Vinicius, que teve seu centenário comemorado em 2014.

 O livro de assinaturas, no entanto, não é tão rico quanto as obras dispostas. Apenas 47 nomes figuram o caderno de visitas à exposição Lembranças em versos que enfeita a casa há meses e em breve será substituída por uma que abordará o futebol, ainda sem data de abertura.

O passeio pela vida do poeta se inicia com descrições sobre a infância de Vinicius e também seu relacionamento com filhos e mulheres. Tudo em forma de poemas, sonetos e pequenos versos dispostos em livros antigos e cartazes. A exposição faz questão de deixar a palavra com o poeta, separando apenas as obras por temas.

Quem conhece pouco de Vinicius pode apreciar ao final da exposição atividades diferentes do poetinha, como compor músicas infantis. Uma delas muito conhecida está registrada em uma bancada de vidro, junto aos discos infantis com suas canções: Lá vem o pato, pato aqui, pato acolá…

O livro de receitas também está lá para provar que ele era um cozinheiro de mão cheia. Mas segundo o próprio, Vinicius era apenas poeta e todas as demais coisas que faziam eram consequência deste fato. A exposição funciona de segunda a sexta, das 10h às 17h, na Rua da Imprensa, 16, Rio de Janeiro.

Anúncios