Por Karina Lopes

De volta à terra média e com estreia prevista para o natal, “O Hobbit – A desolação de Smaug” promete agitar os cinemas do mundo todo neste fim de ano. Na última semana, o diretor e idealizador do projeto Peter Jackson apresentou o novo trailler do filme, em um evento na Nova Zelândia.  Os filmes são adaptações da obra literária homônima de J.R.R Tolkien. Os livros contam a história de guerreiros e seres fantásticos, como elfos e anões, que se unem para combater uma terrível ameaça aos reinos da terra média.

Nesta segunda parte, Bilbo Bolseiro, Gandalf e Thorin , o líder dos anões, continuam sua jornada a fim de recuperar o reino de Erebor- A montanha solitária, e devolve-lo aos anões.  Tendo como pano de fundo o anel, encontrando por Bilbo, o impasse entre elfos e anões quanto a retomada de Erebor e a disputa entre Thorin e o líder orc Azoug, assassino de antigo rei dos anões, pai de Thorin. O subtítulo do filme trata do principal componente da trama, o dragão Smaug, que tomou o reino dos anões, e que ficara adormecido por anos, agora retorna para dar continuidade a batalha.

Para os desavisados, “O Hobbit” foi livro que inspirou a trilogia “O senhor dos anéis”. Uma produção bilionária, que entrou para história do cinema e ganhou tanta importância quanto as batalhas intergalácticas de “Star Wars”.  Para os fãs, esta é uma oportunidade impar de retornar ao universo de Tolkien. Para construir a história, Peter trouxe novamente às telonas personagens inesquecíveis como Gandalf, o mago mais poderoso da terra média e Legolas, o elfo que acompanha o jovem Frodo em sua jornada. Para recompor os cenários e ambientes da fantástica terra média, Jackson aprimorou, tecnicamente as imagens, ao filmar em 48 quadros por segundo, o dobro do tempo tradicional. Trata-se de mais uma obra prima do cinema blockbuster.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios