Por Natália Nunes

Atual campeão, Miami Heat é o grande favorito

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A National Basketball Association (NBA) é a principal liga de basquete profissional da América do Norte. Com 30 franquias, sendo 29 dos Estados Unidos e uma do Canadá, a NBA é considerada a principal liga de basquete do mundo. Os times são divididos em duas conferências, cada uma com três divisões, contendo cinco times cada. A final é disputada pelo campeão da Conferência Leste e o campeão da Conferência Oeste. Assim como os playoffs, também é disputada em uma série de melhor de sete.

Conferência Oeste

Noroeste

Portland Trail Blazers: Os Blazers têm um time talentoso e conta com Damian Lillard, eleito o melhor calouro do ano passado, que ao lado de LaMarcus Aldrige espera manter o ritmo das últimas temporadas e comandar a equipe dentro de quadra.

Destaque

LaMarcus Aldridge: O ala-pivô é um dos melhores de sua posição e pontua com facilidade até de média distância.

Denver Nuggets: Mesmo depois de ter sido eleito o melhor técnico da NBA no ano passado, George Karl acabou demitido. Em seu lugar veio Brian Shaw, que faz sua estreia como treinador na liga. Os Nuggets perderam dois de seus titulares: Kosta Koufos e Andre Iguodala e não tiveram nenhuma grande contratação, com exceção de Nate Robinson, que será reserva de Ty Lawson.

Destaque

Ty Lawson: Com a saída de Iguodala, Ty Lawson assume o papel de principal jogador dos Nuggets.

Minnesota Timberwolves: Há cerca de dois anos, o Minnesota Timberwolves vem sendo apontado como um time para o futuro. Se Kevin Love e Ricky Rubio não se lecionarem durante a temporada, esse pode ser o ano dos Wolves.

Destaque

Kevin Love: É um dos melhores jogadores da NBA, uma máquina de double-doubles que ainda consegue ser perigoso no perímetro. Mas as lesões têm limitado sua carreira. Na última temporada, foram apenas 18 partidas.

Oklahoma City Thunder: Depois de perder James Harden, o time perdeu também o substituto: Kevin Martin. Só com Kevin Durant e Russell Westbrook como verdadeiras ameaças ofensivas, OKC fica mais previsível. E o início do ano será um verdadeiro teste: Westbrook passou por artroscopia no joelho e só volta em dezembro. Com isso, Durant terá que carregar o time no início.

Destaque

Kevin Durant: É um dos melhores jogadores do mundo, só perde para LeBron James. Durant tem calibre de MVP, mas uma campanha não tão forte quanto no último ano pode não ser suficiente para ser eleito o melhor da NBA.

Utah Jazz: O Utah Jazz ficou perto de uma vaga nos playoffs no ano passado, mas a equipe perdeu as suas duas peças mais fundamentais: Al Jefferson e Paul Millsap. Sem a dupla de pivôs, o time fica muito enfraquecido e deve sofrer para não ficar entre as últimas posições. Até porque as contratações não envolveram nenhum nome de peso. Bom para o brasileiro Scott Machado, que tem encontrado dificuldade para se estabilizar na NBA e conseguiu uma vaga no elenco da equipe de Salt Lake City.

Destaque

Derrick Favors: Era apenas um coadjuvante e reserva no time do Utah Jazz há alguns anos. Agora, com os principais jogadores da franquia fora, ele terá mais espaço e deve ser um dos responsáveis por carregar o time junto com Enes Kanter e Gordon Hayward.

Pacífico

Los Angeles Lakers: A equipe se apoiará nos veteraníssimos Kobe Bryant, que não sabe quando voltará às quadras e entra em seu último ano de contrato, Steve Nash e Pau Gasol. Todos acima dos 33 anos e com um histórico de lesões. Com um time lento, velho e a incerteza em cima de Mike D’Antoni como técnico, os queridinhos de Los Angeles podem sofrer nesta temporada.

Destaque

Kobe Bryant: Aos 35 anos, o astro entra em seu último ano de contrato sob dúvidas. Dúvida se vai se aposentar ao final desta temporada e se consegue ser o mesmo depois de passar por uma cirurgia no tendão de Aquiles que o tirou dos playoffs no último ano.

Golden State Warriors: Os Warriors, do técnico Mark Jackson, foi uma das principais surpresas da NBA no ano passado e deu trabalho nos playoffs. A equipe ganhou o reforço do ala Andre Iguodal e espera que Stephen Curry se concretize como uma estrela na liga.

Destaque

Stephen Curry: Curry teve o melhor ano de sua carreira na última temporada e precisa mostrar serviço para provar que realmente é uma das estrelas da NBA.  As lesões têm sido seu grande problema, mas o armador será o verdadeiro termômetro dos Warriors.

Los Angeles Clippers: Pelo terceiro ano seguido, os Clippers chegam para a temporada da NBA com status de um dos favoritos ao título e com a certeza e que deve conseguir uma vaga nos playoffs. Os Clips mantiveram a base dos últimos anos liderada pelas estrelas Chris Paul e Blake Griffin e ainda têm um novo técnico que sabe o caminho do título: Doc Rivers, ex-Boston Celtics.

Destaque

Chris Paul: É o grande responsável pela mudança de status do Los Angeles Clippers. O armador deu um novo tom à franquia desde que chegou, há duas temporadas. Paul é um dos raros armadores puros que ainda restam na liga. Junto com Blake Griffin forma uma das melhores duplas da atualidade.

Phoenix Suns: O Phoenix Suns ainda vive em fase de reconstrução e não deve incomodar nesta temporada. Com um novo técnico, Jeff Hornacek, a franquia aposta em jovens talentos como Goran Dragic e Markieff Morris, mas assim como no último ano, provavelmente terá que lutar muito para não ser um dos piores da Conferência.

Destaque

Goran Dragic: É um raro remanescente da franquia ainda dos tempos em que os Suns estavam acostumados com a vaga nos playoffs. De reserva e aprendiz de Steve Nash, o esloveno se tornou referência no Arizona e deve proporcionar boa parte dos momentos de brilho do time.

Sacramento Kings: Depois de ter uma tentativa de relocação para Seattle vetada pela NBA, os Kings iniciam a temporada com um dono novo e perspectivas de se estabelecer de vez na capital da Califórnia. Porém, o time é fraco e tem tudo para ficar entre os piores da NBA.

Destaque

DeMarcus Cousins: É um dos pivôs jovens de maior talento na NBA, mas seu comportamento e atitudes já o causaram problemas dentro da franquia. Na última temporada, ele teve médias de 17,1 pontos e 9,9 rebotes por partida. Novamente deve carregar o time.

Sudoeste

Dallas Mavericks: Os Mavericks praticamente desmontaram a base que foi campeã em 2011. Dirk Nowizki segue como principal jogador do time. Os dois principais reforços dos Mavs estão na armação, onde o time contará com o espanhol José Calderon e com o jovem e rápido Monta Ellis.

Destaque

Dirk Nowitzki: Maior jogador da história da franquia, Dirk Nowitzki começa esta temporada saudável depois de ter perdido quase 30 jogos no último ano. O alemão de 35 anos ainda é uma referência para a franquia, mas está já em decadência. Mesmo assim, Nowitzki pode ser decisivo nos playoffs.

Houston Rockets: Os Rockets foram os grandes vencedores do mercado apenas por terem contratado a peça mais cobiçada por todos os times da NBA: Dwight Howard. Com o pivô, além de James Harden, Jeremy Lin e Chandler Parsons, Houston tem um excelente time nesta temporada que promete brigar pelo título.

Destaque

James Harden: A saída de Thunder foi o melhor que podia acontecer para James Harden. Ao invés de ser coadjuvante, ele é o cara do time e se firmou como uma das principais estrelas da NBA. O barbudo, que teve média de 26,3 pontos no último torneio, deve fazer uma dupla de peso com Dwight Howard.

Memphis Grizzlies: Os Grizzlies foram uma das maiores surpresas da última temporada, quando chegaram à final do Oeste. A base segue intacta, mas a dupla de garrafão formada por Zach Randolph e Marc Gasol está no penúltimo ano de contrato. A única grande mudança no time é o técnico. Lionel Hollins saiu e Dave Joerger assumiu em seu lugar.

Destaque

Marc Gasol: É hoje talvez o pivô com mais habilidade fora do garrafão da NBA. Além de ter um forte jogo interno, o espanhol é completo, sabe dar passes, bom na defesa e anota pontos. Ao lado de Zach Randolph ele forma uma das melhores duplas de gigantes da liga.

New Orleans Pelicans: A grande mudança do time está no nome. Adeus para os Hornets, Pelicans é o novo apelido. O New Orleans Pelicans foi o segundo pior time do Oeste na última temporada. Apesar de estarem reforçados pelo armador Jrue Holiday, o ala Tyreke Evans e Anthony Davis entrar em seu segundo ano, ainda pode ser pouco para um time jovem e promissor conseguir uma vaga nos playoffs.

Destaque

Anthony Davis: Teve 13,5 pontos e 8,3 rebotes de média em seu ano de calouro. Após uma boa pré-temporada, este pode ser o ano em que o ala-pivô exploda na NBA e se firme como uma das principais estrelas da liga do futuro.

San Antonio Spurs: Por muito pouco os Spurs não impediram a dinastia do Miami Heat. Após a 1ª derrota da franquia numa final da NBA, os Spurs mantiveram a mesma base, renovaram com Tiago Splitter, mas Tim Duncan e Manu Ginobili estão mais velhos, enquanto Tony Parker vem de um verão europeu onde levou a taça do Eurobasket pela França.

Destaque

Tony Parker: Ainda é um dos armadores mais perigosos da NBA e provou sua regularidade ao longo dos anos. Porém, Parker vem de um verão exaustivo, onde levantou o título do Eurobasket pela seleção francesa.

Conferência Leste

Sudeste

Washington Wizards: Fora dos playoffs desde 2008, o Washington Wizards apresentou evolução na reta final da temporada. Com o final dos problemas físicos de John Wall, a armação da equipe ganha talento, o que combina com o eficiente Bradley Beal, que iniciará sua 2ª temporada na NBA. No garrafão, a franquia espera o fim das lesões de Nenê e agora tem Marcin Gortat.

Destaque

John Wall: Um dos armadores mais talentosos da nova geração, John Wall enfrentou problemas físicos e permaneceu quase metade da última temporada no departamento médico.

Orlando Magic: Desde a saída de Dwight Howard, o Orlando Magic vive uma fase de reconstrução. A renovação ocorreu já no draft, quando a equipe recrutou o ala-armador Victor Oladipo. No garrafão, Nikola Vucevic mostra evolução para preencher a lacuna deixada por Howard.

Destaque

Nikola Vucevic: O montenegrino Nikola Vucevic terminou 2012/2013 como um dos atletas que mais evoluíram dentro da NBA. Com média de 13.1 pontos e 11.9 rebotes por partida na última temporada, o gigante de 2,13m surge como candidato a ocupar a vaga de ídolo do time, sem nenhum nome desde a saída do também pivô Dwight Howard.

Miami Heat: Atual campeão e equipe do melhor jogador da NBA. Contando com LeBron James no auge da forma, é difícil imaginar a equipe longe das fases decisivas da temporada. A confiança no elenco é tanta que a movimentação no mercado foi baixa. A maior aquisição pode ser tratada como uma aposta: Greg Oden, número 1 do draft em 2007, e que permaneceu quase quatro anos afastado da liga por conta de seguidas lesões.

Destaque

LeBron James: É o melhor jogador da atualidade. Antes criticado por falhar em momentos decisivos, LeBron James vive o auge da forma. A maturidade adquirida tornou o camisa 6 o mais temível jogador da liga, e a tendência é uma repetição em 2014.

Atlanta Hawks: Para aliviar a perda de Josh Smith, a franquia trouxe Paul Millsap, Gustavo Ayón e o veterano Elton Brand. No garrafão, o eficiente Al Horford – médias de 17.4 pontos e 10.2 rebotes no ano passado – segue como peça fundamental. No perímetro, Kyle Korver é capaz de decidir jogos nas bolas de 3.

Destaque

Al Horford: Sem Josh Smith, Al Horford terá o ano para se firmar como a grande estrela do Atlanta Hawks. O pivô dominicano surge como um dos candidatos a destaque na Conferência Leste.

Charlotte Bobcats: Penúltima equipe do Leste na temporada passada, o Charlotte Bobcats aposta no jogo de garrafão para evitar uma novo vexame. Longe dos playoffs desde 2009/2010, a equipe trouxe Al Jefferson e recrutou o calouro Cody Zeller. Na armação, Kemba Walker segue em constante evolução.

Destaque

Kemba Walker: Prestes a iniciar sua terceira temporada na liga, Kemba Walker apresentou grande evolução em 2012/2013. Embora tenha apenas 23 anos, o armador, dono de médias de 17.7 pontos e 5.7 assistências por jogo no ano passado, já carrega a responsabilidade de ser o capitão dos Bobcats.

Central

Milwaukee Bucks: O Milwaukee Bucks sofreu um processo de reestruturação no mercado. A equipe perdeu Monta Ellis e Brandon Jennings, os dois principais jogadores do perímetro. Para recompensar, O.J Mayo e Luke Ridnour chegaram ao time. E juntos com o veterano Caron Butler e o experiente argentino Carlos Delfino buscam chegar aos playoffs.

Destaque

Ersan Ilyasova: As saídas de Monta Ellis e Brandon Jennings aumentam a responsabilidade de Ilyasova para a temporada. O turco, dono de médias de 13.2 pontos e 7.1 rebotes, será essencial na adaptação dos novos reforços da equipe.

Indiana Pacers: Com um quinteto titular entrosado e eficiente, a franquia trouxe nomes importantes para completar a rotação como o argentino Luis Scola, C.J. Watson e Chris Copeland.

Destaque

Paul George: Jogador que mais evoluiu no último ano, Paul George terá um ano de afirmação no grupo das estrelas da liga. Sem Danny Granger, fora da temporada por conta de uma lesão, o camisa 24 assumiu a liderança do Indiana Pacers.

Detroit Pistons: Chauncey Billups está de volta para reforçar o perímetro da equipe. Além do veterano de 37 anos, os Pistons também adquiriram o armador Brandon Jennings e o ala Josh Smith, que chega para auxiliar o garrafão já respeitado da equipe, formado por Greg Monroe e Andre Drummond.

Destaque

Josh Smith: Talentoso e eficiente, Josh Smith chega para recolocar a franquia tricampeã nos playoffs. O forte ala de 27 anos terá um teste pela frente: se adaptar a Greg Monroe e Andre Drummond – os donos das posições.

Cleveland Cavaliers: A equipe de Anderson Varejão reforçou ainda mais o setor do garrafão. Além do brasileiro, que espera uma temporada sem lesões, os Cavaliers foram buscar Andrew Bynum. Com a dupla no garrafão, além das presenças de Tristan Thompson, Kyle Irving e do novato Anthony Bennett, a equipe aposta na juventude para sonhar com um lugar nos playoffs.

Destaque

Kyle Irving: Com apenas duas temporadas na NBA, Kyle Irving já se coloca entre os principais nomes da liga. Armador que une velocidade, enorme habilidade e grande capacidade defensiva, é um dos líderes da franquia.

Chicago Bulls

A franquia contará novamente com Derrick Rose, MVP de 2011. Recuperado de uma cirurgia no joelho e novamente em ação após uma temporada parado, o camisa 1 reforça o já consistente time de Tom Thibodeau, Noah, Boozer, Deng e Butler.

Destaque

Derrick Rose: Melhor jogador da NBA em 2011. Agora recuperado após um ano de lesão, o armador inicia o torneio com a missão de comandar o Chicago Bulls a uma campanha vitoriosa.

Atlântico

Toronto Raptors: Os Raptors se reforçaram. Com uma base desde o meio da última temporada, quando chegou o talentoso ala Rudy Gay, a franquia canadense, lanterna da divisão em 2013, reforçou o banco de reservas com os veteranos Quentin Richardson e Steve Novak, especialista do perímetro. Para o garrafão, Tyler Hansbrough. Com o gigante Jonas Valanciunas, vice-campeão europeu com a Lituânia, o time busca se colocar entre os grandes dentro da liga.

Destaque

Rudy Gay: Um dos atletas mais regulares da NBA, Rudy Gay iniciará pela 1ª vez uma temporada com os Raptors. Em Toronto, será o líder e principal alvo no ataque.

Philadelphia 76ers: O Philadelphia 76ers utilizará a temporada 2013/2014 para firmar novos nomes na liga. Além de Evan Turner e Thaddeus Young, os Sixers depositam confiança no calouro Michael Carter-Williams.

Destaque

Evan Turner: Talentoso e dono de uma honorável carreira universitária – eleito o melhor jogador de 2010 -, Evan Turner ainda não emplacou uma excelente temporada. Em constante evolução dentro da liga, o ala/armador agora carregará a responsabilidade de liderar os Sixers.

New York Knicks: As lesões de Amare Stoudemire obrigaram o New York Knicks a agir para a temporada. Semifinalista do Leste, a franquia se reforçou com o ala/pivô Andrea Bargnani e que chega também para evitar novas improvisações de Carmelo Anthony, o grande astro do time.

Destaque

Carmelo Anthony: Sem Stoudemire, as atenções se voltaram a Carmelo. Muito criticado por atuações não tão boas em duelos decisivos, o ala liderou os Knicks até a semifinal do Leste.

Brooklyn Nets: O investimento do magnata russo Mikhail Prokhorov durante a pré-temporada transformou o status do Brooklyn Nets para a temporada 2013/2014. A caçula da NBA trouxe Paul Pierce e Kevin Garnett e fechou um invejável quinteto titular. Os veteranos farão companhia ao pivô Brook Lopez, a Joe Johnson e a Deron Williams, um dos melhores armadores da liga americana.

Destaque

Deron Williams: Franchise player dos Nets desde os tempos de New Jersey, Deron Williams é um armador que contribui tanto na organização de jogo quando na pontuação. Agora, com as companhias de Kevin Garnett e Paul Pierce – além da presença de Joe Johnson, o camisa 8 possuirá mais opções para levar o time longe.

Boston Celtics: Reestruturação é o termo que rondará a temporada da franquia mais vitoriosa da NBA. Pela primeira vez em anos, Boston não terá Paul Pierce e Kevin Garnett com a histórica camisa branca e verde. Sem os dois ídolos mais recentes, a equipe confia no talento de Rajon Rondo. O camisa 9 segue em recuperação de uma lesão no joelho e só deve atuar no segundo mês da temporada. Como novidade para 2014, está Vitor Faverani, o mais novo brasileiro na NBA.

Destaque

Rajon Rondo: Um dos armadores mais talentosos da NBA, Rajon Rondo assumirá o posto de estrela do Boston Celtics. Ainda em recuperação de um problema no joelho, fruto de uma lesão da última temporada, Rondo não terá a companhia de Garnett e Pierce.

Anúncios