Por Diano Massarani

Caio Martins / Foto: Divulgação
Caio Martins / Foto: Divulgação

Muitos dos estádios brasileiros são batizados como forma de agradecimento aos que realizaram benfeitorias aos clubes proprietários. Porém, algumas ideias transformam praças esportivas em homenagens a figuras que são exemplos para toda e qualquer geração. Um exemplo-símbolo é o Estádio Caio Martins, localizado na cidade de Niterói (RJ), que desde o fim da década de 80 está sob concessão do Botafogo de Futebol e Regatas.

Fundado em 1941, o estádio foi nomeado em honra ao escoteiro Caio Vianna Martins, um verdadeiro herói nacional. Em 1938, então com 15 anos, o escoteiro Caio Martins partia de Minas Gerais com destino a São Paulo quando o trem em que se encontrava com seus companheiros chocou-se com um trem cargueiro que vinha no sentido oposto. Diante da gravidade do acidente, os escoteiros se reuniram, traçaram planos e trabalharam com todas as forças para ajudar os feridos. Quando o socorro chegou, quase cinco horas após o acidente, Caio Martins se recusou a ocupar uma das macas por acreditar que seus ferimentos eram mais leves do que o de outros, e disse a frase que entraria para a história: “Um escoteiro caminha com as próprias pernas”.

Assim, partiu a pé com seus companheiros rumo a Barbacena (MG), onde não resistiria e viria a falecer poucas horas depois por causa da hemorragia interna causada durante o acidente. Tornou-se um ícone do escotismo nacional e um justo homenageado pelo mais querido esporte do país.

Anúncios