Isabella Zonta

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Que falar sobre sexo ainda é assunto polêmico, ninguém pode negar. Como, então, falar, documentar e estudar o ato na década de 1950?! Pois bem, esta é a premissa da nova e antecipada Master of Sex, série que estreia neste mês na Showtime.

Criada por Michelle Ashford (The Pacific), a série transportará os controversos e inovadores estudos de William Masters e Virginia Johnson para televisão. Médico e psicóloga americanos foram pioneiros – pesquisaram a fundo as respostas fisiológicas do corpo humano ao estímulo sexual a fim de diagnosticar e viabilizar tratamento para disfunções sexuais.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

O espectador acompanhará os cientistas em sua pesquisa e os verá enfrentar os obstáculos de fazê-la acontecer numa sociedade tão conservadora quanto os Estados Unidos dos anos 1950. A nova série pretende-se como uma representação explícita do Método Masters e Johnson, que por muito tempo dependia basicamente da observação de centenas de encontros íntimos entre indivíduos. O que significa sexo. Muito sexo: como ato de amor ou paixão, enquanto plugados a dezenas de fios para estudo científico, com estranhos.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Com o elenco liderado por Micheal Sheen (A Rainha e Frost e Nixon) e Lizzy Caplan (Mean Girls e Party Down), a primeira temporada de Masters of Sex será composta por doze episódios que têm como matéria-prima a biografia Masters of Sex: The Life and Times of William Masters and Virginia Johnson de Thomas Maier.

Com estreia nos Estados Unidos marcada para o dia 29 deste mês, Masters of Sex só chega ao Brasil, pela HBO, no dia 7 de outubro. Porém, a Showtime liberou para os mais ansiosos o primeiro episódio da série em seu canal no Youtube.

Assista ao trailer:

 

Anúncios