Por Luiza Gould

Érico Veríssimo se consagrou por contar fatos da história de forma épica em seus livros
Érico Veríssimo se consagrou por contar fatos da história de forma épica em seus livros

O Continente, O Retrato e O Arquipélogo compõe a trilogia de O Tempo e Vento de Érico Veríssimo. Publicados respectivamente em 1949, 1951 e 1962, as três se dividem em volumes e totalizam sete livros que contam a história da formação do estado do Rio Grande do Sul. Considerada um clássico da literatura nacional, a obra completou 50 anos de existência em 2012. No primeiro livro, O Continente, são contados os 150 anos da história do estado até um determinado momento do enredo que envolve a família Terra Cambará. A personagem Ana Terra se encanta pelo índio Pedro Missioneiro, com quem tem um filho. Logo depois de engravidar, Ana é repudiada pelo pai e seus irmãos matam Pedro. A tragédia na vida de Ana Terra continua quando o rancho onde mora é atacado e seu pai e um de seus irmãos são assassinados. No episódio, a personagem ainda é estuprada, mas consegue fugir com vida para Santa Sé, povoado do Coronel Amaral. Ana se torna parteira e ocorre então uma passagem de tempo na narrativa. A personagem morre e a história continua com a protagonista Bibiana, sua neta. A jovem se apaixona pelo forasteiro Rodrigo Cambará, com quem se casa, apesar da desaprovação do pai, Pedro Terra. Os livros O Retrato e O Arquipélogo continuam a contar a história dessa família que é formada e as lutas na região.

Anúncios