Por Camille Velloso e Thamiris Alves

oVelhoGraca_boitempo

Graciliano Ramos, um dos símbolos da cultura brasileira, foi retratado na biografia completa e cheia de simplicidade de Dênis de Moraes. Relançada em novembro, a nova edição ampliada, revisada e repleta de fotografias, algumas raras e inéditas, conta com uma entrevista concedida pelo escritor, em 1944, nunca antes publicada em livro. A primeira edição foi lançada no centenário de Graciliano Ramos, e é uma pesquisa extensa que mostra vários lados do escritor.

Na orelha do livro, escrita por Alfredo Bosi, fica a promessa de conhecer o duplo itinerário de Graciliano: “a paixão pela palavra nele precedeu e acompanhou a opção política, que, por sua vez, transcendeu (mas jamais renegou) a adesão partidária. Algo que sólido e constante fez convergirem ambas as escolhas: a fidelidade ao compromisso com o homem brasileiro, visto ora na pobreza do migrante, ora na truculência do senhor rural, ora nos meandros escuros de sua intimidade, ora enfim, na condição kafkiana de réu sem culpa formada.”  Impossível não ficar com vontade de conhecer mais a vida de Graciliano.

Nelson Coutinho, hoje já falecido, foi o responsável pelo prefácio da obra. Grande amigo de Dênis de Moraes, o escritor nos leva a refletir o contexto histórico em que Graciliano viveu, seu papel político, sua participação no PCB e a difícil missão de acreditar no comunismo mesmo com o exemplo do stalinismo. Segundo ele, Dênis conseguiu contar a trajetória pessoal do velho Graça compondo-a com a obra do escritor, sem reduzir o significado estético e ideológico aos detalhes íntimos de sua vida.

Mas o que o próprio autor tem a dizer sobre seu livro? Vamos descobrir nessa entrevista:

Sobre o autor:

Dênis de Moraes nasceu no Rio de Janeiro em 1954. É jornalista, professor do departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense (UFF) e pós-doutor em Comunicação pelo Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales. É autor e organizador de mais de vinte livros, dos quais oito foram editados no exterior (Argentina, Espanha, Cuba e México). Além de O velho Graça, publicou duas biografias de intelectuais e artistas de esquerda: Vianinha, cúmplice da paixão: uma biografia de Oduvaldo Vianna Filho (Rio de Janeiro, Record, 2000; São Paulo, Expressão Popular, no prelo) e O rebelde do traço: a vida de Henfil (Rio de Janeiro, José Olympio, 1996). Ainda, com Francisco Viana, Prestes: lutas e autocríticas (Petrópolis, Vozes, 1982; Rio de Janeiro, Mauad, 1998), obra baseada no único depoimento concedido pelo líder comunista Luiz Carlos Prestes sobre sua trajetória.

Ficha técnica do livro:

Título: O velho Graça
Subtítulo: uma biografia de Graciliano Ramos
Autor: Dênis de Moraes
Orelha: Alfredo Bosi
Páginas: 360
Preço: R$ 52,00
Editora: Boitempo

Anúncios